Festas de São Sebastião e Santa Terezinha em Monte Sião

Festas de São Sebastião e Santa Terezinha em Monte Sião

As festas de São Sebastião e de Santa Terezinha são realizadas anualmente na Igreja de Santa Terezinha, localizada no Parque Dona Antonieta.

A Festa de São Sebastião é tradicional no município e já foi uma das maiores festas da cidade. Realizada no mês de janeiro – mês de São Sebastião – oferece uma festa animada e familiar para a comunidade e visitantes.

A Festa de Santa Terezinha acontece no final do mês de setembro, durante aproximadamente três dias e tem como culminância o dia 1° de outubro, que é dedicado à Santa Terezinha.

As duas festas têm os mesmos moldes, mantendo ainda nos dias de hoje os costumes de festas do interior. São realizadas em formato de quermesse e oferecem aos visitantes variadas atrações, como bingos que têm como prêmios prendas oferecidas pela comunidade. Há também a venda de assados como frango e leitoas, além de oferecer outros tipos de porções. É um ambiente muito animado e que agrada muito as famílias que participam das festividades. Além disso, as festas sempre contam com realização de celebrações na própria Igreja de Santa Terezinha.

A Festa de São Sebastião e a Festa de Santa Terezinha têm o objetivo de angariar fundos, a primeira para o Santuário de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e a segunda, para a própria Igreja de Santa Terezinha.

Para você, que se interessou por estas festas, venha participar e aproveite as novidades do centro comercial de Monte Sião.

Conheça quem foi São Sebastião e Santa Terezinha:

São Sebastião

São Sebastião nasceu na França, em 256 d.C., na cidade de Narbona. Escolheu se dedicar à carreira militar, como seu pai. Era muito dedicado a seu cargo e tinha o reconhecimento de seus amigos e do próprio imperador romano, Maximiano. O imperador porém, não sabia que Sebastião era cristão e que não participava dos martírios realizados pelo exército romano. Sempre que podia, Sebastião visitava os cristãos aprisionados.

Quando Maximiano descobriu que havia cristãos infiltrados no exército, ordenou que fosse realizada uma caça para expulsar estes cristãos do exército e que só permanecessem no exército aqueles que eram filhos de soldados. Sebastião se enquadrava neste grupo e foi chamado pelo imperador para que renunciasse sua fé em Jesus Cristo. Sebastião se recusou a fazer isso e como consequência teve decretada sua morte para servir de exemplo aos outros soldados. Ele deveria ter uma morte cruel e deveria ser morto a flechadas pelos arqueiros. Sebastião teve suas roupas retiradas e foi amarrado a um poste, sendo alvo de fechas. Ele ficou muito ferido, porém ainda com vida foi resgatado por uma cristã chamada Irene, que cuidou de seus ferimentos.

Após se recuperar, Sebastião continuou pregando a fé cristã e foi até o imperador Maximiano pedir que parasse de perseguir e matar os cristãos. Mais uma vez, o imperador ordenou que o matassem açoitando-o e que jogassem seu corpo numa fossa para que ninguém o encontrasse. Isso aconteceu e após ter seu corpo encontrado, provavelmente foi enterrado no jardim da casa de Lucina, a cristã que o encontrou.

São Sebastião reúne um grande número de devotos e é padroeiro de diversas cidades brasileiras, fazendo parte também da cultura de Monte Sião. Diversos foram os hinos compostos em homenagem a São Sebastião, conheça agora um deles. Se você conhecer um hino diferente, por favor, deixe nos comentários:

HINO SÃO SEBASTIÃO

Pe. Joãozinho

Salve o nosso Santo Padroeiro
Foi soldado e foi guerreiro
Mas lutou só pelo bem.
São Sebastião lutou no exército de Deus também, e não bastou.

Não, não, não, não, não! Uma flecha não bastou para calar a sua voz.
São Sebastião! São Sebastião, rogai por todos nós!

Salve o nosso Santo preferido
São Sebastião querido
Mora em nosso coração
Força, fé e amor e a esperança em Cristo Redentor. E não bastou.

Salve o nosso Santo Glorioso
Santo humilde e poderoso
Vence a morte pelo amor
São Sebastião, morrer por Cristo é ser vencedor. E não bastou.

Santa Terezinha

Santa Terezinha nasceu no dia 2 de janeiro de 1873, em Aleçom, baixa Normandia, na França. Seu nome era Marie Françoise Thérèse Martin.

Terezinha perdeu a mãe muito cedo, com apenas quatro anos e por este motivo se apegou à sua irmã Paulina, que era mais velha e a tratava como uma filha. Porém, ela decidiu seguir sua vocação, entrando para o Carmelo.

Certa vez, Terezinha ficou muito doente e um dia, olhando para a imagem de Imaculada Conceição de Maria, viu a Virgem sorrir para ela e ficou curada. A partir deste dia decidiu entrar, assim como sua irmã Paulina, para o Carmelo. Terezinha estudou no colégio da Abadia das monjas beneditinas de Lisieux por cinco anos.

Terezinha desejava entrar para a ordem das carmelitas, mas não podia porque tinha apenas quatorze anos. Em uma viagem à Itália, pediu autorização ao Papa Leão XIII e ele atendeu seu pedido. Em 1888, ela entra para o Carmelo com o nome de Tereza do Menino Jesus. Terezinha sempre pregou a ideia de que a santidade pode estar nas coisas simples e nos pequenos gestos.

Tereza do Menino Jesus teve tuberculose e lutou contra a doença por quase três anos. Faleceu no dia 30 de setembro de 1897, com 24 anos de idade. Em seu leito de morte, suas últimas palavras foram: “Não me arrependo de haver-me entregue ao amor… Meu Deus, eu te amo”.

Santa Terezinha ficava feliz quando jogavam pétalas de rosas ao passar o Santíssimo Sacramento e disse antes de morrer que iria fazer chover sobre o mundo uma chuva de rosas, por isso é conhecida como a Santa das Rosas.

Em Monte Sião, há uma Igreja dedicada a Santa Terezinha. Acompanhe a letra de um dos hinos feitos em homenagem à santa:

HINO SANTA TEREZINHA

 

Gloria a Deus neste dia tão belo

Honra e gloria a Jesus salvador

E a florzinha Gentil do Carmelo

Revestida de grande esplendor.

 

Derramai vossa chuva de rosas

Teresinha da pátria e do amor

Sobre a igreja e sobre as almas ansiosas

Que a vós clamam com todo fervor

Sobre a igreja e sobre as almas ansiosas

Que a vós clamam com todo fervor.

 

Teresinha de Cristo menino

Que na terra em tão curto viver

Espalhaste perfumes divinos

Lá do céu fazei graças chover

 

Como rara flor que na aurora

Desabrocha e perfuma os jardins

Vossa vida somente duma hora

Foi inicio de um dia sem fim

 

Venha prestigiar estas duas festas em Monte Sião, renovar sua fé, conhecer gente simpática e quem sabe até ganhar uma das prendas no bingo. A diversão nestes dois eventos já é garantida.

admin

Dar uma opnião

Clique aqui para postar sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *